Leptospirose canina: doença perigosa e difícil de identificar

Postado por PETZ, em Atualizado em Dec 15, 2020

Cães
Leptospirose canina: doença perigosa e difícil de identificar
Tempo de leitura: 3 minutos

Entre as doenças que assustam os amantes de cachorros em épocas de chuva, a leptospirose canina talvez seja a mais preocupante. Bastante contagiosa, ela é causada por uma bactéria que ataca órgãos importantes e pode levar a graves consequências.

cachorro com olhar abatido

Além disso, trata-se de uma zoonose, ou seja, pode infectar humanos. Conversamos com a médica-veterinária da Petz, Dra. Larissa Geraldi Carrela, que nos explicou as causas da leptospirose em cães, os principais sintomas e como tratar essa temida doença. Continue lendo para saber mais!

O que é a leptospirose canina?

Para responder o que é leptospirose canina, é preciso entender as causas da doença. A leptospirose é uma uma doença causada pela bactéria Leptospira, muito associada aos ratos urbanos, porque está presente no organismo desses animais sem causar mal a eles.

“As leptospiras conseguem penetrar na pele de animais e humanos, produzindo lesões em vários órgãos, principalmente rins e fígado”, explica a Dra. Larissa. O nível da doença varia de acordo com a idade, o sistema imunológico e o histórico do pet. Em casos mais graves, ela pode levar à morte.

Como a leptospirose é transmitida?

O contágio da bactéria se dá pelo contato com o animal ou a urina contaminada (de ratos, gambás, guaxinins) ou com secreções de um pet infectado. Como dito, trata-se de uma zoonose, o que quer dizer que a leptospirose canina pode ser transmitida para humanos.

Por isso, é necessário atenção ao cuidar de um pet doente, utilizando luvas e realizando limpezas frequentes no ambiente. Após o contágio, os primeiros sintomas começam a aparecer em até 7 dias.

Quais são os sintomas?

Nem sempre é fácil identificar a leptospirose em cachorros. Além de as principais causas serem comuns a diversas outras doenças, eles também podem variar de acordo com o pet. “Os sinais clínicos dependem da idade e da imunidade do pet”, comenta a Dra. Larissa. Mas fique atento a leptospirose canina: sintomas como:

  • Prostração;
  • Febre;
  • Perda de apetite;
  • Vômito,
  • Icterícia (coloração amarelada das mucosas, pele e branco do olho).

cachorro com olhar triste deitado de lado

Existem casos em que, mesmo contaminado, o pet não apresenta sintoma nenhum. Mesmo assim, ele será um hospedeiro da bactéria e poderá transmiti-la a outros animais.

Por isso, diante da menor suspeita da doença, sempre busque ajuda veterinária para garantir uma boa saúde para o amigo de quatro patas e a todos os moradores da casa.

Como é feito o diagnóstico e como tratar?

Por ser uma enfermidade mais difícil de reconhecer, somente um médico-veterinário poderá dar um diagnóstico preciso de leptospirose canina. A partir dos sintomas, ele realizará exames complementares e testes sorológicos para identificar a doença.

tratamento de leptospirose canina pode variar de acordo com o estágio da leptospirose. Sendo assim, as medidas terapêuticas vão desde hidratação até administração de remédio para leptospirose canina, que devem ser sempre acompanhadas por um especialista.

Não existe um remédio caseiro para tratar essa doença, mas você pode contribuir para a melhora do cãozinho oferecendo a ele muita água e uma alimentação equilibrada, afinal, leptospirose canina tem cura!

Como prevenir?

Apesar de ser uma doença perigosa, a leptospirose é bem fácil de ser evitada. Por conseguinte, a melhor maneira de prevenir é sempre através da vacina para leptospirose canina, que deve ser reforçada periodicamente, conforme o grau de exposição do animal à doença.

Outro cuidado essencial é adotar medidas de higiene, como remoção periódica dos lixos e limpezas regulares de terrenos e telhados. Isso afasta os roedores, principais transmissores da doença.

Em épocas de chuva, o cuidado deve ser redobrado! A água de enchente, que lava ruas e bueiros, costuma estar cheia de leptospiras, que podem infectar o pet. Por isso, deixe-o protegido durante as tempestades e tenha cuidado durante os passeios.

Por fim, sempre leve o cãozinho ao veterinário para visitas regulares. Essa prática previne não só a leptospirose canina, mas outras doenças. Além disso, pode garantir ao animal mais saúde e bem-estar por muitos anos!

labrador idoso olhando para trás

Agora que conferiu tudo sobre a leptospirose canina, confira o blog da Petz e tenha diversas dicas que vão garantir a felicidade do amigo de quatro patas!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *