Castrar gato: mitos e verdades sobre o procedimento

Postado por PETZ, em 13/12/2018

Gatos
Castrar gato: mitos e verdades sobre o procedimento

Por mais que os veterinários sejam unânimes em recomendá-la, poucos procedimentos da medicina preventiva veterinária são tão polêmicos quanto a castração.

Isso porque embora seus benefícios sejam amplamente divulgados, a castração ainda gera muitas dúvidas que vão desde a cirurgia até o pós-operatório, passando por seus possíveis efeitos colaterais. E você, ainda fica inseguro quando o assunto é castrar gato? Descubra o que é mito e o que é verdade sobre o tema.

1. Recomenda-se castrar o gato ainda jovem

Verdade! De acordo com a Dra. Anna Carolina Leão Dias, médica-veterinária da Petz, não existe uma idade certa para castrar o gato. No entanto, recomenda-se que seja entre o 1º e o 2º cio em fêmeas e após um ano de idade em machos.

2. A castração é importante para evitar doenças

Verdade! Segundo a veterinária, um dos principais motivos para a castração das fêmeas é que reduz bastante o risco de a gata desenvolver câncer de mama e infecções de útero.

Já para os machos, a castração é recomendada principalmente para evitar as fugas, o que, por sua vez, reduz o risco de eles contraírem FIV, FELV, entre outras doenças graves, como câncer de testículo e doenças do aparelho reprodutor. Além disso, evita o risco de envolvimento em brigas, atropelamentos e envenenamentos.

3. A cirurgia de castração afeta menos as fêmeas que os machos

Mito! Segundo a Dra. Anna, embora seja igualmente recomendada para as fêmeas e para os machos, a castração é mais invasiva nas fêmeas. Isso porque, para ter acesso ao útero e aos ovários, é preciso cortar a musculatura da barriga.

Já no caso dos machos, a cirurgia consiste na remoção dos testículos da bolsa escrotal. Por isso mesmo, o pós-operatório também é mais fácil para eles. No entanto, é fundamental que tanto fêmeas quanto machos repousem e usem colar protetor ou roupa cirúrgica a fim de evitar a remoção dos pontos.

Além disso, também é importante que o tutor siga corretamente as orientações do médico-veterinário relativas a medicações e cuidados pós-castração de gato.

4. Gatos castrados ficam tristes

Mito! O que ocorre é que, em gato não castrado, o estímulo hormonal é responsável por fazer com que ele se torne territorialista, agressivo, e que fuja de casa com frequência.

Sendo assim, já sem o estímulo hormonal liberado pelos testículos, o gato castrado tem comportamento mais calmo, o que não quer dizer que esteja triste. Ao contrário! Ele apenas se torna mais dócil e tranquilo.

5. Depois de castrado, o gato sempre engorda

Mito! De acordo com a veterinária, nem todo gato castrado engorda. Vai depender da alimentação e do enriquecimento ambiental proporcionados a ele. Converse com um veterinário a fim de verificar se serão necessárias mudanças na dieta. Hoje em dia, é possível encontrar rações específicas para gatos castrados.

Além disso, também é muito importante garantir que o pet tenha arranhadores, varinhas e outros brinquedos que estimulem seus instintos naturais. Assim, o gato permanecerá ativo, entretido e muito mais saudável! Você encontra tudo isso na Petz!

Compartilhe:

#

Petz

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Petz

#

Aqui você encontra tudo e um pouco mais sobre o incrível mundo animal e fica por dentro dos cuidados essenciais com seu bichinho de estimação, seja para um cachorro, gato, passarinho, hamster, peixes e muitos outros — ou todos eles!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *